sexta-feira, 14 de novembro de 2014

JESUS FREQUENTAVA A CASA DO PAI E VOCÊ?




Gente hoje foi um domingo muito legal, vovó reuniu meus amiguinhos e seus pais em nossa varanda, estava um calor incrível, antes de qualquer coisa, trouxe duas travessas
de pasteizinhos assados, uma era de pasteizinhos recheados com bananada e a outra era de pasteizinhos recheados com presunto e mozarela nossa estavam demais.

Vovó perguntou a todos se tinham o costume de ouvirem falar de Jesus em alguma igreja, templo ou reunião?  Ninguém tinha este costume, iam de vez enquanto a evangelização em seus centros Kardecistas, mas nem sempre e não levavam as crianças.

Eu de boca cheia não pude falar, mas estava curiosa para saber onde vovó queira chegar.

_Pois é, poucos são aqueles que sentem a necessidade de ouvir falar das coisas do Pai ou então da vida do Mestre Jesus e isto faz muita falta à nossa alma, pois saibam que é o alimento de nossa alma, é o nosso sustento para o dia a dia.

_Mas dona Gina – disse o Sr. Marco pai do Joãozinho – no dia a dia tão corrido, fica difícil tirarmos um tempinho.

_Concordo Marco, mas para isso temos os finais de semana ou então a noite uma horinha basta, nenhuma igreja ou centro costuma se estender muito além disto.

_Verdade, falava mamãe, mas o mundo está muito materialista, não entendem que o vazio que sentem em seus seres não existiria se se aproximassem do Sagrado, das verdades
Divinas.

_Bem, então eu vou contar a vocês uma história que mostra que até Jesus sentia necessidade de ouvir falar de Deus, escutem.

José, como todo bom judeu, levava sua família a Jerusalém para a festa da Páscoa. Era uma viagem difícil, a grande maioria ia a pé de Nazaré até Jerusalém. Saíam juntos e andavam uns três dias ou mais.

A família de José não era pequena, tinham de cuidar do menino Jesus e de seus irmãos.  Houve um ano, que já no retorno a Nazaré,  seus pais não notaram que Jesus não estava.

_Nossa vovó, como puderam esquecer um filho?

_Isa, não esqueceram Jesus, aconteceu que era costume os homens irem à frente e as mulheres atrás, Maria pensou que Jesus estava com José e José pensou que Ele estava com Maria. As caravanas eram grandes e as crianças andavam brincando, apostando corridas, eram crianças e agiam como tal. Mas no final do dia Maria e José se encontraram e perceberam que Jesus não estava nem com um, nem com outro. Procuraram com os parentes e ninguém tinha visto Jesus.  Então, fizeram o que tinha que ser feito, abandonaram a caravana e voltaram para Jerusalém.

_E encontraram vovó?



_Sim, Didi, foram até o templo e lá Maria o encontrou no pátio entre alguns doutores da Lei. Ele fazia perguntas, escutava e depois também falava dando sua opinião e todos estavam abismados diante da sabedoria daquele menino. Sua mãe bastante nervosa, foi até Ele e perguntou o porquê de ter feito aquilo, deixando ela e o pai tão preocupados. Jesus, muito calmo, olhou para a mãe e respondeu exatamente assim: “  Por que tiveram de procurar-me? Não sabiam que eu tinha que estar na casa de meu Pai?”

Então, vejam o exemplo de Jesus que desde menino gostava de estar em um templo que representava na Terra a casa de seu Pai. Ele gostava de ouvir e depois falar, Ele ali aproveitava sempre para ensinar a todos as verdadeiras Leis de Deus, onde Ele sempre priorizava o AMOR MAIOR.

_Bem, vovó, Jesus desde criança nos ensinava praticando aquilo que ensinava, Ele dava exemplos na sua forma de agir, não é?

_Sim, Didi, é isto mesmo. Mas vejam eu fiz estes pasteizinhos para que ninguém estivesse com fome e conseguisse prestar atenção no que eu ia passar.

_Saco vazio não para de pé, não é vovó?

-Sim, Joãozinho, e assim como devemos nos alimentar para podermos nos sentir bem, da mesma forma, devemos comer o alimento da alma, que nada mais é que ouvir e falar do Pai altíssimo e de seu filho Jesus nosso Mestre amado.

_Concordo vovó, desta forma preenchemos o vazio de nosso interior e nossa fé cria força. – este é papai falando.

_Mas não basta apenas ouvir, Fernando, devemos colocar em prática em nosso dia a dia, pois desta forma passamos a frente o que aprendemos da forma mais eficaz que existe, através de nosso exemplo, mas esta forma de agir tem que ser natural, vir de dentro para fora, senão estaremos sendo hipócritas e antes que as crianças perguntem hipócrita quer dizer falso. Muito bem, agora que já falamos um pouquinho de Jesus, vamos deixar as crianças brincarem e nós adultos vamos falar da forma que temos agido em nosso dia a dia.

Vovó é demais, nos mandou brincar, mas avisou que deveríamos anotar em um caderno a nossa forma de agir com o nosso próximo em nosso dia a dia.

Bem, estou com a barriguinha estufada de tantos pasteizinhos, vocês precisam vir aqui em casa nestas reuniões, é muito gostoso e não só por causa dos pasteizinhos. Tchau até outro dia.


Didi
09-11-2014

Luconi
   

2 comentários:

  1. Essa vovó é demais...Alimenta corpo e espírito! Lindo de ler! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Vovó cheia de encanto educando a neta no caminho em que deve andar. por auqi levamos a Alice na igreja e ensinamos valores cristãos. O mundo precisa mais de Deus. Amooo seu cantinho. Tem novidades no Poesia depois passa lá, bjs

    ResponderExcluir

FAÇAM PARTE DESTA CASINHA DEIXANDO AQUI SEU PARECER,

A DIDI FICA FELIZ POR VER SEUS OUVINTES PARTICIPAREM

BRIGADUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...