domingo, 20 de julho de 2014

ANJO DA GUARDA EM AÇÃO - CONTO




Estávamos em horário livre na escola, a professora havia faltado e não podiam dispensar a gente mais cedo, então ajuntamos as carteiras, eu, João, Matheus e Isa. Eu havia dito que papai me contara uma história que mostrava o nosso anjo agindo. A inspetora ouviu o que eu dizia e então quase me mata de vergonha:
­_Didi, seria ótimo todos nós ouvirmos sua história.
_Mas tia, eu não sei contar pra todo mundo, têm alguns meninos e meninas que vão ficar me gozando.
_Não vão não, porque quem fizer isto eu levo à diretoria e a diretora vai lhe dar lição para fazer, então creio que todos ouviram em silêncio. Venha Didi, aqui na frente falando alto para todos ouvirem.

Esta tia apronta cada uma com a gente, mas o que podia eu fazer, bem vou falar sem olhar pro rosto de ninguém, só para o dela que estará sentada na minha frente, fica mais fácil. Decidido isto, levantei e fiquei de frente para todos, com os olhos na tia, claro.

_Papai no outro dia me contou a história de um coleguinha seu de escola, seu nome era Wilson. Ele mudara-se para o bairro há pouco tempo e por isto também mudara de escola. Era um menino bem grande para seus onze anos e não gostava de fazer amizade com a maioria das crianças da sala, no entanto, tudo fazia na hora do recreio para pegar amizade com os meninos mais velhos, da quinta e sexta série, o grupo que costumava aterrorizar os pequenos.

Eles perceberam o seu interesse e então encostavam nele para pedir dinheiro para o lanche, para a coca-cola, se ele não tivesse a mais dava o dinheiro do seu lanche e ficava sem comer, assim foi ganhando a confiança deles. Um dia, quando pediram dinheiro, Wilson respondeu que eles não queriam tê-lo em sua turma, só queriam o seu dinheiro.

Então, um deles falou para Wilson que para entrar na turma ele teria que passar em um teste, mas que para isso eles faltariam na escola e iriam em uma ruela ali perto, era deserta e ninguém os veria, disse que era lá que ficavam quando matavam aula.

Wilson não titubeou, queria fazer parte da turma dos meninos grandes, os de sua idade eram muito bobos, amedrontados, filhinhos da mamãe.

Dona Vilma já andava notando que o seu menino andava arredio, pedindo dinheiro a mais, falando que era para comprar este ou aquele material de escola que tinha perdido ou estragado, ela sentia que não era verdade, porque isto se tornara frequente e ele pouco estudava, na reunião a professora disse que ele não participava e não fazia amizades, tentou falar com ele e Wilson alegou que eram todos “pivetes”, ela lhe deu conselhos, falou com o Sr. Ailton, pai de Wilson, que disse que seu filho estava virando homem e era só uma fase para ele crescer como homem.

Um dia antes do tal encontro na ruela, Wilson entrou na cozinha dizendo aos pais que tivera um sonho estranho, que estava caminhando por uma estrada e que resolvera pegar um atalho e então neste atalho a estrada se tornava um lamaçal e ele prendia os pés ali e não conseguia sair.

Dona Vilma preocupada disse:

_ Wilson, meu  filho, cuidado, é seu anjo da guarda te avisando para não se desviar do que lhe ensinamos, existe perigo em algum lugar, cuidado meu filho.
Mas o Sr. Ailton, foi logo ralhando com ela: _Que bobagem mulher, deixa nosso filho ser homem, não ponha estas ideias na cabeça dele, anjo da guarda que nada, onde já se viu.
_É isto mesmo mamãe, isto que você falou é coisa de menininhas ou de mariquinhas, não ando fazendo nada de errado.

Assim sendo, lá foi Wilson não para a escola como deveria, mas para a tal ruela.
Lá chegando encontrou os “amigos” que não quiseram perder tempo, então foram logo dizendo:

_Quanto você tem aí?

Ele tinha só o dinheiro do lanche e eles então pegaram o seu relógio e disseram que ele deveria dizer em casa que tinha sido roubado. Wilson perguntou para que eles queriam dinheiro.

_Ora moleque, o que pensa que fazemos aqui? Você está pagando sua iniciação. Toma fuma esse aqui.
_Eu não fumo.
_Se não fumar não será aceito, todos nós vamos fumar. Dizendo isto, acendeu um daqueles cigarros que ele mesmo fizera e os outros também. Wilson então resolveu fumar o que lhe tinha sido dado.
Mal deu umas três baforadas e estava tontinho, e por isto não percebeu três grandões que chegavam, os “amigos” só gritaram sujou, e saíram correndo.

Mas ele nem saiu do lugar, e então os grandões deram-lhe uma surra, diziam que eles não tinham pago alguma coisa e por isto ele apanhava para arrumar o dinheiro.

Há poucos metros dali, o bom Sr. João, vinha vindo com o carrinho de verduras e ao invés de virar uma esquina depois como de costume para cortar caminho até o mercadão, virou por engano na ruela e avistou aquela cena, imediatamente gritou “Polícia” “Polícia”. Largaram Wilson no chão meio desacordado.

No hospital, após ter engessado o braço que quebrara, e com muita dor, pois também uma costela havia trincado, olhou para os pais aos pés de sua cama e disse:

_Papai, anjo da guarda existe sim, foi ele que fez aquele homem chegar na hora que eu estava apanhando.

O pai com os olhos marejados de lágrimas, respondeu:

_Nem sei se você estaria vivo, filho. Muita coisa vai mudar agora, vamos participar  daquele dia do evangelho no lar que a mamãe sempre faz sozinha.

Dona Wilma emocionada agradeceu ao Pai, finalmente a venda se erguera dos olhos do marido e tinha certeza que Wilson aprendera a lição.

O bom Sr. João passou a fazer parte da família, era um homem que vivia sozinho e então no dia do evangelho lá estava ele.

Acabei a história e todos olhavam pra mim, a tia começou a bater palmas e todos se ajuntaram a ela, então ela arrematou:

_Claro que anjo da guarda existe, todos nós temos um a nos proteger, só que como o Wilson não o escutamos, e para escutá-lo basta ouvir o nosso coração, as nossas intuições, que são aqueles pensamentos que chamamos de bobos, mas que sempre vem nos alertando, ou então, prestar atenção nos sonhos, ou no nosso dia a dia, como o seu João que ao virar uma esquina errada, logo percebeu o porquê deveria estar ali naquela hora.

Bem então todos começaram a contar casos, sonhos e coincidências em suas vidas, e foi a melhor aula vaga que tivemos.

Didi 


                                                           IMAGEM PRENDADA E CAPRICHOSA

Luconi
19-07-2014

6 comentários:

  1. Como é bom saber que temos anjos bons a nos proteger. feliz dia do amigo. No blog uma poesia dedicada a todos amigos virtuais e que conheço, bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Márcia
    É sempre reconfortante saber que existem anjos bons a nos proteger estejam eles longe ou pertinho de nós.
    Amigo é joia rara de grande valor
    Amigo é estrela que traz luminosidade e brilho
    Amigo é sol que aquece e fortalece o sentimento
    Amigo é dádiva enviada por Deus
    Para compor a orquestra da nossa vida

    Jamais conseguirei traduzir em palavras o quanto a sua amizade é importante para mim. Você chegou de mansinho e se apossou do meu coração e lá fez morada

    Hoje venho trazer meu abraço e desejar-lhe um "Feliz Dia do AMIGO"

    ResponderExcluir
  3. Oi Luconi!
    Uma linda lição em forma de estória e realmente eles EXISTEM!
    E estão mais perto da gente do que imaginamos.
    uma excelente semana para ti.
    abração com carinho

    ResponderExcluir
  4. .

    Bem eu não fui àquela aula,
    mas como você pode ver, dela
    acabei participando.
    Essa criançada, pelo que
    demonstrou acima, sabe
    bem contar histórias e as
    vezes agente acaba aprendendo
    com ela.

    Um beijo,

    silvioafonso




    .

    ResponderExcluir
  5. Que beleza,Luconi! Que bom se muitas crianças lessem isso e aprendessem a segi=uir a voz do anjo que avisa e a dos pais....Lindo!!bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  6. Uma graça essa historinha ensinando as crianças sobre seus anjos da guarda! bjs,

    ResponderExcluir

FAÇAM PARTE DESTA CASINHA DEIXANDO AQUI SEU PARECER,

A DIDI FICA FELIZ POR VER SEUS OUVINTES PARTICIPAREM

BRIGADUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...